Autor: super-admin

Dieta low carb: benefícios, cuidados, alimentos e receitas

Escrito por
Lia Nara Bau

A dieta low carb caiu no gosto popular e tem cada vez mais adeptos. Trata-se de uma estratégia nutricional que visa tanto a perda de peso, quanto o controle de algumas doenças, como o diabetes, por exemplo.

Low carb significa baixo carboidrato e é exatamente isso que essa abordagem propõe, que o consumo de carboidratos seja o menor possível. É importante ressaltar, contudo, que uma redução extrema dos carboidratos pode ter consequências para a sua saúde e deve sempre ser acompanhada de um(a) nutricionista.

Índice do conteúdo:

O que é a dieta low carb?
Alimentos da dieta low carb: o que comer?
Cardápio
Receitas low carb
Benefícios
Cuidados
O que é a dieta low carb?

FOTO: ISTOCK

A nutricionista Adriana Lauffer explica que uma dieta low carb é uma dieta com redução de carboidratos. “Permanecem gorduras saudáveis, proteínas e alimentos com baixa quantidade de carboidratos.”

Em uma alimentação convencional, cerca de 50% do que é ingerido são carboidratos. Em low carb, propõe-se que este macronutriente componha entre 45% e 5% da alimentação.

Leia também: Dieta Dukan: a receita para perder peso rapidamente

Alimentos da dieta low carb: o que comer?
Quem inicia uma dieta low carb sempre tem muitas dúvidas sobre o que pode e o que não pode comer.

Adriana lembra que são permitidas gorduras boas, proteínas e alimentos com baixa quantidade de carboidrato. Neste caso, podemos citar carnes, ovos, oleaginosas e frutas com baixo teor de carboidratos, por exemplo.

Há alimentos proibidos? Sim! “Algumas frutas ricas em carbos, todos os cereais, como pão, massas, biscoitos, algumas leguminosas mais ricas em carboidratos como feijão, lentilha, ervilha, todos os doces, açúcares, sobremesas”, cita Adriana.

IMAGEM: DICAS DE MULHER

Alimentos permitidos
Carnes: carnes in natura têm praticamente zero em carboidratos, mas não compre carnes já temperadas, nem nuggets ou salsichas, por exemplo.
Verduras: todas as folhas verdes, brócolis, tomate, cebola, chuchu, aspargo, palmito, berinjela, quiabo, entre outros.
Frutas low carb: frutas com baixo teor de carboidrato, como frutas vermelhas, limão, coco e abacate, por exemplo.
Ovos: ovos de todos os tipos (cozidos, mexidos, fritos).
Queijos: os queijos têm diferentes teores de carboidratos, por isso evite os brancos, que têm mais lactose, que é o açúcar do leite.
Gorduras boas: utilize azeite de oliva, manteiga ou óleo de coco.
Alimentos de consumo moderado
Frutas: deve-se ter cuidado com as frutas porque elas contêm carboidratos, em razão da frutose, seu açúcar natural.
Oleaginosas: precisam ser consumidas moderadamente, pois contêm gordura: nozes, castanhas, amendoim, amêndoas, pistaches, etc.
Industrializados: devem ser evitados, pois, de maneira geral, são ricos em conservantes e gorduras trans.
Alimentos proibidos
Leguminosas: feijão, lentilha e ervilha, por exemplo, devem ser evitados pelo seu teor de carboidratos.
Açúcar: não consuma açúcar de nenhuma espécie. Mesmo o mel, demerara, açúcar mascavo ou de coco, continuam sendo açúcares
Farinha de trigo: nem branca, nem integral. Não consuma nada que contenha farinha de trigo, como pães e bolos, etc
Arroz: não deve ser consumido porque tem alto teor de carboidrato
Cardápio
Um cardápio low carb precisa ser balanceado para que se coma os nutrientes necessários. Também é importante considerar as preferências de cada pessoa. Afinal, não funcionará um cardápio que contenha ovos no café da manhã e no jantar, se a pessoa não gosta ou não está habituada a consumir ovos, por exemplo.

É fundamental, claro, sempre consultar um nutricionista e seguir as orientações do profissional.

Leia também: 14 dicas para mudar seus hábitos culinários e preparar refeições mais saudáveis

IMAGEM: DICAS DE MULHER

Se sentir fome entre as refeições, pode fazer um lanche, comendo uma fruta low carb, um ovo cozido, oleaginosas ou uma fatia de queijo, por exemplo.

Receitas low carb
Quando iniciamos a dieta low carb, podemos ficar um pouco perdidos no que podemos ou não comer, especialmente em preparações.

Por isso, separamos para você algumas receitas low carb doces e salgadas para que você possa variar o seu cardápio e até comer aquele docinho sem culpa quando bater a vontade!

Receitas low carb salgadas

FOTO: REPRODUÇÃO / MOLDANDO AFETO

1. Pão de queijo: com apenas ovo e queijo você pode fazer esse pãozinho de queijo delicioso!

2. Tomates assados: tomatinhos assados com manjericão com aquele sabor de pizza.

Leia também: Dieta do ovo: uma alternativa para o emagrecimento rápido

3. Pão low carb: para quem não dispensa o pãozinho, essa receita com farinha de amêndoas pode salvar o dia.

4. Rocambole de frango: um delicioso rocambole de frango recheado com presunto e queijo.

5. Salada de abobrinha e frango: essa salada vai animar aqueles que torcem o nariz para os verdinhos.

6. Lasanha de pupunha: a pupunha, cortada em tirinhas, substitui a massa da lasanha. Uma delícia saudável!

7. Espaguete de cenoura: a cenoura cortada em tirinhas e cozida faz a vez de espaguete.

8. Torta de amêndoas: a farinha de amêndoas substitui o trigo nessa deliciosa torta salgada.

8. Pizza: é possível comer uma deliciosa pizza feita com massa de brócolis.

9. Berinjela gratinada: a berinjela gratinada com queijo e tomate é um prato prático e saboroso.

Leia também: E-book 101 Receitas Low Carb reclame aqui

11. Barrinha de chocolate com coco: esse docinho fica delicioso e é superfácil de fazer.

12. Bolo de coco funcional: para quem não dispensa um bolinho para saborear com um café.

13. Muffin: esse muffin tem baixo carboidrato porque é feito de abóbora, que é pouco calórica.

14. Brigadeiro: dá para comer brigadeiro na dieta low carb! Escolha o cacau em pó e um leite condensado com baixo teor de açúcar.

Leia também: Kifina Anvisa

15. Granola: essa granola é crocante e saborosa!

Veja aqui mais receitas low carb fáceis e saborosas que podem fazer parte da sua dieta.

4 benefícios da dieta low carb

FOTO: ISTOCK

Previne diabetes: previne o diabetes tipo 2 pelos alimentos de baixo índice glicêmico, que não aumentam o nível de insulina.
Proporciona saciedade: os alimentos ricos em fibras e gorduras boas proporcionam maior saciedade e, consequentemente, menos fome.
Auxilia no emagrecimento: favorece a perda de peso, pois não se consome açúcar nem farináceos, por exemplo.
Melhora da saúde: a low carb é uma estratégia alimentar que auxilia na melhora da saúde como um todo, desde o emagrecimento, até redução do colesterol, triglicerídeos e redução da pressão sanguínea.
A dieta low carb é extremamente eficaz para a perda de peso, pois os alimentos consumidos são saudáveis, normalmente naturais e de baixo índice glicêmico, o que significa que do carboidrato ingerido, a sua glicose será utilizada para a célula obter energia.

Leia também: Phytophen Anvisa

Adriana complementa: “É eficaz sim para emagrecer, dá resultado rápido e pode auxiliar em alguns problemas de saúde, como diabetes e dislipidemias”.

Leia também: Farinha seca barriga Anvisa

Cuidados

FOTO: ISTOCK

Antes de você embarcar de vez na dieta low carb, é preciso ter alguns cuidados, pois, via de regra, os carboidratos são macronutrientes importantes e deve-se ter cautelas ao tentar reduzi-los ao máximo.

Adriana orienta a não fazer por tempo indeterminado. “Também é importante não reduzir demais os carboidratos porque pode aumentar demais a proteína e trazer alguns contratempos a pessoas predispostas a cálculos renais, por exemplo”, frisa.

A dieta low carb é pra você: se você tem uma relação mais racional com a comida e/ou se tem problemas de saúde em que ela pode ser indicada.

A dieta low carb não é pra você: se você tem uma relação complicada com a comida ou transtornos alimentares, como bulimia, compulsão, pois irá piorar tudo isso. Para atletas ou pessoas que fazem muito exercício também não seria indicado.

Assim como qualquer dieta ou estratégia alimentar, a dieta low carb deve sempre ter o acompanhamento nutricional, para que não haja problemas com a sua saúde.

Jejum Intermitente Para Iniciantes

O jejum intermitente tem sido a estratégia alimentar mais discutida na Internet nos últimos tempos. (Especialmente no contexto de uma dieta low-carb ou mesmo paleo.)

E, assim como qualquer nova dieta que surja como “a solução definitiva para todos os seus problemas”, ele tem sido distorcido e propagado das maneiras mais diversas que você pode imaginar.

Por isso, quisemos dar nossa pequena contribuição neste texto para ajudar a clarificar o assunto do jejum intermitente (comumente abreviado para JI).

Então continue lendo, porque, ao concluir a leitura do artigo, você vai saber:

O que é exatamente o jejum intermitente,
A maneira mais fácil de começar a colher os resultados do JI,
Quem pode (e quem não pode) fazer o JI,
Além disso vamos abordar 10 benefícios de se praticar jejum intermitente:

Promoção da autofagia celular
Aumento da secreção de HGH
Prevenção de doenças neurodegenerativas
Prevenção de doenças cardíacas
Aumento da sensibilidade à insulina
Auxílio no emagrecimento
Aumento da praticidade e economia
Combate ao estresse oxidativo e à inflamação
Aumento da expectativa de vida
Possível prevenção do câncer
Mas, antes de entrarmos nos detalhes das diversas modalidades de JI, vamos começar falando sobre o que exatamente é o jejum intermitente.

Infográfico Resumo
Se você não estiver com tempo agora de ler o texto completo, esse infográfico poderá lhe fornecer as principais informações do post de maneira resumida.

Leia também: Jejum Intermitente funciona

Nele, tentamos explicar de forma bem básica e resumida alguns dos benefícios da prática de Jejum.

Clique na imagem acima para visualizar o infográfico completo.

O Que É Jejum Intermitente?

Leia também: Kifina reclame aqui

Neste caso, a definição mais precisa é justamente a mais simples.

O nome jejum intermitente consiste de duas palavras, e ambas são importantes para entendermos o que ele quer dizer.

A palavra jejum se refere aos períodos em que você fica sem comer.

E a palavra intermitente significa algo que não acontece de maneira contínua – do dicionário Houaiss: “intervalo em que ocorrem interrupções; que cessa e recomeça por intervalos; intervalado, descontínuo.”

Leia também: Phytophen reclame aqui

Sendo assim, a palavra intermitente se refere a pausas no jejum.

Com esses dois termos, a prática do jejum intermitente é basicamente alternar períodos sem comer com períodos em que você pode comer.

Ou, para usar um termo comum entre adeptos do JI, alternar um período de jejum com uma janela de alimentação.

Já a duração de cada um desses períodos varia bastante, dependendo de qual protocolo de jejum intermitente você escolher.

Leia também: Farinha seca barriga reclame aqui

(E, como mostramos em outro artigo, existem vários modos de se fazer jejum intermitente.)

Mas, por ora, vale dizer que as diferenças estão basicamente em quanto tempo por vez você passa sem comer.

Uma consequência lógica dessa definição é a de que todas as pessoas fazem alguma forma de jejum – porque, se você não está comendo, você está jejuando.

No entanto, como a maioria das pessoas não tem um calendário estruturado de refeições (onde a janela de jejum é constante), elas não estão em um jejum intermitente, mas sim em um jejum relativamente curto, e bagunçado – o que retira alguns dos benefícios.

Com a exceção, claro, de quando dormimos – porque, durante o sono, não estamos nos alimentando.

Assim, é comum que a maioria de nós tenha um período de jejum bastante regular – entre 6 e 8 horas por noite – até comermos pela manhã.

(E é por essa razão que o café da manhã também é conhecido por “desjejum” – porque você está literalmente interrompendo o jejum feito durante a noite.)

E, falando em café da manhã, vamos começar logo apontando a forma mais fácil e direta para se iniciar a prática do jejum intermitente.

Relacionado: Jejum Faz Mal? O Que Responder Quando Alguém Critica Seu Jejum Intermitente

Como Iniciar o Jejum Intermitente de Forma Fácil: Pule o Café da Manhã

Já vamos começar dizendo uma verdade que costuma trazer muita polêmica: o café da manhã não é a refeição mais importante do dia.

(Uma bobagem propagada por meio de frases como “tome café da manhã como um rei, almoce como um príncipe e jante como um mendigo”.)

Mas a verdade é que realmente não “precisamos” dele.

Assim como não precisamos de nenhuma refeição específica – conforme provam os estudos e a história.

E é verdade que existe um estudo indicando uma correlação entre tomar café da manhã e ter menor peso corporal.

Mais explicitamente, nesse estudo as pessoas que pulavam o café da manhã tendiam a pesar mais do que aquelas que o tomavam.

Mas o que estava acontecendo, de fato?

(Vale lembrar que esse é um estudo epidemiológico, que não estabelece causa e efeito – “correlação não implica causação”.)

O que acontece é que sempre fomos orientados a acreditar que tomar café da manhã era muito importante para uma vida saudável.

Dessa maneira, o estudo apenas reporta um viés: o de que pessoas que pulam o café da manhã – enquanto pensam que ele é necessário para uma vida mais saudável – são justamente aquelas mais inclinadas a adotar outros hábitos não-saudáveis: como comer fast food, fumar, e não praticar exercícios.

(Um caso muito semelhante acontece com o consumo de ovos e a incidência de colesterol, conforme o Doutor Souto escreveu brilhantemente neste artigo.)

Mas ainda existe um outro argumento para os defensores do café da manhã: o argumento da sensibilidade à insulina.

Aqui é válido lembrar que quanto mais sensível seu corpo for à insulina, mais provável será você perder gordura e ganhar massa muscular. O aumento da sensibilidade à insulina quase sempre está relacionado a uma dieta mais eficiente.

Nesse âmbito, como a sensibilidade à insulina é maior pela manhã, os entusiastas do desjejum matinal declaram que ingerir uma quantidade maior de calorias nessa refeição (em vez de concentrá-la em outras refeições) tende a produzir um melhor equilíbrio corporal, podendo-se ingerir uma grande quantidade de energia sem o perigo de ganhar peso.

O que é esquecido aqui é que a sensibilidade à insulina não é mais elevada “pela manhã”.

Na verdade ela é maior após os períodos de jejum de 6-8 horas, que a maioria das pessoas tem enquanto dorme.

Mais especificamente, a sensibilidade à insulina é maior quando os níveis de glicogênio estão quase nulos, e isso acontece pois glicogênio do fígado é consumido com o jejum durante a noite de sono.

O jejum intermitente leva isso um passo adiante: um período de jejum maior do que 10 horas, o que pode ser conseguido simplesmente pulando-se o café da manhã (e portanto esgotando um pouco mais o glicogênio), pode aumentar ainda mais a sensibilidade à insulina.

Leia também: Jejum Intermitente emagrece

Resumidamente, o que quero dizer é que não há nada de especial com o café da manhã e não há nenhuma real necessidade de se fazer uma refeição logo ao acordar.

De toda forma, a primeira coisa que você comer para quebrar seu jejum ficará sujeita aos benefícios de uma maior sensibilidade à insulina.

Por outro lado, também quero deixar claro que não há nada ruim com o café da manhã.

Ou seja, mesmo que você pratique alguma forma de jejum, ainda assim pode tomar o café da manhã tranquilamente.

Lembre-se, a parte mais importante é a duração do jejum e não em qual parte do dia ele ocorre.

Pular o café só acaba sendo a maneira mais fácil de colocar o jejum em prática.

E falamos mais sobre os 5 principais protocolos de jejum intermitente nesse outro texto aqui – inclusive falamos sobre nosso próprio modo de jejuar.

Além da suposta importância do café da manhã, ainda temos um outro mito muito comum que diz respeito à importância de se manter uma boa frequência de refeições – e vamos abordá-lo agora.

Sobre a Frequência: Defensores do Jejum Intermitente Lutam Contra o Mito das Seis Refeições

Se você já tentou perder peso da maneira “tradicional” – ou leu um livro de dieta, consultou um nutricionista ou contratou um personal trainer – provavelmente já escutou que, para perder peso, você tem de comer 5-6 pequenas refeições por dia.

(Uma sugestão que é formulada muitas vezes como “3 refeições e 2 lanches”.)

E esse estilo de comer (em que você se alimenta de maneira bem frequente) é muito popular entre a maioria das pessoas – desde nutricionistas até fisiculturistas – e foi repetido tantas vezes, e por tanto tempo, que geralmente é tomado como fato.

O problema é que ele está errado.

Na verdade, os benefícios de se comer pequenas refeições mais vezes durante o dia nunca foram cientificamente comprovados.

Nós abordamos os 4 principais “motivos” que as pessoas acreditam justificarem este hábito em um texto dedicado:

Comer de 3 em 3 horas: E se tudo o que te contaram até hoje for uma mentira?

Se você gostaria de entender bem esse assunto (e nunca mais ter que dar explicações para aquela pessoa chata que acha que você vai morrer se pular uma refeição ou lanche), vale muito a pena ler o artigo.

De toda forma, agora vamos repassar rapidamente os 4 “motivos”:

O primeiro e mais comum conceito utilizado é que comer frequentemente aumentaria o metabolismo.

Em outras palavras, a teoria sugere que, já que comer aumenta sua taxa metabólica, quanto mais frequentemente você comesse, mais sua taxa metabólica se elevaria.

Isso de fato acontece, mas não leva a uma maior perda de gordura – e inclusive foi cientificamente comprovado que não há diferença alguma.

Isso porque, quando você come, sua taxa metabólica aumenta devido à energia necessária para digerir o alimento que você comeu.

Isso é chamado de Efeito Térmico dos Alimentos (ou do inglês, TEF).

Veja só, o TEF é diretamente proporcional à ingestão calórica (e à distribuição dos macronutrientes) e, se a ingestão calórica for igual, no final do dia, não haverá nenhuma diferença metabólica entre comer 5-6 refeições ou apenas 2-3.

Na verdade, contanto que o total de calorias e macronutrientes seja igual, você pode comer dez refeições ou uma refeição que você ainda terá o mesmo efeito metabólico:

O segundo motivo é o de que, comendo de 3 em 3 horas, você se sentiria mais saciado.

No entanto, estudos mostraram que comer mais frequentemente é menos benéfico do ponto de vista da saciedade – isto é, de se sentir “cheio” após a refeição.

O que significa que, quanto mais vezes você come, é mais provável você ficar com fome – levando a uma maior ingestão calórica, o que implicaria em ganho de peso.

Os outros supostos motivos dizem respeito à manutenção da glicemia sanguínea e à preservação da massa muscular – se quiser saber mais sobre por que eles não passam de mentiras, recomendo que clique aqui para ler.

Relacionado: Você tem dúvidas sobre jejum? Provavelmente elas foram respondidas aqui.

Nossos 10 Benefícios Favoritos do Jejum Intermitente

Obviamente, se o JI não tivesse benefícios, seria difícil engajar tantas pessoas.

Por isso, vamos aproveitar esta seção para listar alguns dos nossos favoritos.

Claro que alguns desses benefícios podem ser bem impressionantes – por isso, colocamos ao final do texto algumas evidências que apoiam essas afirmações.

No entanto, é importante que você saiba algo.

Que, por um lado, alguns dos benefícios mais “interessantes” (como prevenção do câncer, e aumento da expectativa de vida) encontram mais evidências em estudos com ratos, e que mesmo nos estudos com humanos os próprios pesquisadores insistem para que mais estudos sejam feitos.

Por outro lado, benefícios como a autofagia celular estão rendendo prêmios Nobel por aí – e os de perda de gordura você vai poder verificar em você mesmo 😉

De todo modo, não deixa de ser uma série incrível de benefícios para a sua saúde – e tudo o que você teria de fazer para obtê-los seria pular uma ou outra refeição ocasionalmente.

Benefício do Jejum Intermitente #1 – A Praticidade de Comer Menos Frequentemente
Este benefício nada mais é do que uma consequência lógica de se jejuar – isto é, não comer tantas vezes ao dia.

Sendo que, quando você começa a praticar jejum intermitente, já pode começar a percebê-lo na prática.

Afinal de contas, fazer menos refeições significa menos tempo e/ou menos dinheiro gasto com elas.

Esse pode ser um benefício valioso – por exemplo no caso de quem opta por pular o café da manhã.

Assim, muita gente começa a conseguir dormir alguns minutos a mais por não ter mais de acordar cedo nem para preparar nem para comer essa refeição.

Outras pessoas gostam sim de comer um café da manhã nutritivo e saudável – e nesse caso podem optar por ganhar uma horinha no almoço ou mesmo não ter de se preocupar com jantar quando chegam em casa.

De toda forma, não ter de se preocupar com pelo menos uma refeição por dia já é um grande ganho de tempo na corrida rotina da maior parte das pessoas.

(Um bônus adicional de jejuar é o de aumentar a aderência na dieta – afinal, se você come sempre os mesmos alimentos, o fato de comê-los com menos frequência já ajuda a apreciar melhor cada refeição.)

Afinal, como já diria Miguel de Cervantes:

“A fome é o melhor dos temperos.”

Benefício do Jejum Intermitente #2 – Emagrecer Com Mais Facilidade
Muitas pessoas que praticam jejum intermitente o fazem porque desejam emagrecer.

E, conforme falamos antes, jejuar vai fazer com que você coma menos refeições do que comeria em um modelo de alimentação frequente.

Desse modo, a não ser que você realmente compensasse em excesso, comendo muito a mais nas outras refeições, você acabaria por ingerir menos calorias.

Sendo assim, fazer jejum intermitente tende a resultar em uma menor ingestão de calorias totais.

Inclusive, em alguns modelos de jejum intermitente (como o Eat Stop Eat de Brad Pilon, que abordaremos em um próximo texto), você não comeria nada, por 24 horas, 2 vezes na semana.

Fazendo uma conta rápida, isso significa que você reduziria sua ingestão de alimentos em cerca de 30%. Com isso, não é difícil entender como o jejum intermitente pode promover uma boa perda de gordura corporal.

Adicionalmente, o JI auxilia o seu corpo a utilizar a gordura de maneira mais eficiente – especialmente num contexto onde seu corpo já esteja treinado a utilizar gordura como combustível, como em uma dieta cetogênica.

E, ao contrário do que muitos imaginam, jejuar não diminui o seu metabolismo.

Na verdade, devido ao aumento da concentração de catecolaminas, durante o JI o seu metabolismo aumenta!

Com isso, seu corpo é capaz de queimar ainda mais calorias quando está em jejum.

Dessa maneira, o JI não só reduz a quantidade de calorias que você ingere (por limitar a quantidade de refeições), mas também auxilia a aumentar a quantidade de calorias que você queima (por aumentar o gasto metabólico).

E claro que você provavelmente teme perder massa muscular quando emagrece.

(E prevenir isso é um dos motivos de aumentar a ingestão de proteína em uma dieta low-carb / paleo.)

Nesse caso, mais uma boa notícia: Em um estudo, o grupo que praticou jejum intermitente eliminou a mesma quantidade de gordura que o grupo que apenas restringiu calorias… porém o grupo que praticou JI perdeu menos massa muscular.

E, falando em benefícios metabólicos do JI…

Benefício do Jejum Intermitente #3 – Melhor Sensibilidade à Insulina

O jejum intermitente pode ajudar a promover uma melhor sensibilidade à insulina e diminuir os níveis de glicose sanguíneos.

(Mencionamos acima a sensibilidade à insulina, e agora é válido explicar que ela é o oposto de resistência à insulina – que é uma condição na qual o corpo não consegue utilizar a insulina de maneira eficiente, e por isso produz quantidades cada vez maiores dela – como no caso da diabetes tipo 2.)

Por isso, o fato de que, em alguns estudos, o simples ato de praticar o JI tenha sido capaz de reduzir os níveis de glicose em jejum de maneira significativa, e ainda mais os de insulina em jejum, é uma excelente notícia para aqueles que desejam combater essa doença cada vez mais presente na sociedade.

Benefício do Jejum Intermitente #4 – Aumento da Secreção de HGH
Aprofundando um pouco mais nos benefícios hormonais do jejum intermitente, eles também incluem um aumento da secreção do hormônio do crescimento.

O hormônio do crescimento traz diversos benefícios para a saúde, porém vale dizer que ele auxilia a construção de massa muscular, ao mesmo tempo em que ajuda a queimar gordura.

Neste texto completo, ensinamos 11 maneiras de aumentar a secreção do hormônio do crescimento de forma natural – sendo que o JI é uma das mais efetivas – e é completamente grátis.

(Inclusive, em um estudo, os níveis de HGH aumentaram impressionantes 300% após 3 dias de jejum.)

Então, se você se interessa por ganhar massa muscular ou emagrecer, os benefícios do JI são inegáveis.

Benefício do Jejum Intermitente #5 – Promoção da Autofagia Celular
Indo um pouco mais a fundo, ao restringir calorias, você estará forçando o corpo a procurar por energia em outros lugares que não nos alimentos, o que pode favorecer a reparação celular.

Em resumo, quando jejuamos, o corpo inicia um processo de “reciclagem” de componentes das células, que é chamado de autofagia celular.

Nesse processo, o lisossomo (uma organela dentro da célula) quebra e metaboliza proteínas danificadas que foram se acumulando dentro da célula ao longo do tempo.

Esse mecanismo de autofagia celular está associado à prevenção de diversas doenças, inclusive do câncer e do mal de Alzheimer.

Já a mencionamos uma vez neste texto aqui, então vamos apenas ressaltar:

“Simplificadamente, a autofagia celular é um processo de limpeza do interior das células, que funciona removendo os detritos celulares para um funcionamento mais saudável ou reciclando alguns componentes para reparo celular.

Esse processo de autofagia ainda previne a quebra de tecido muscular, auxiliando a preservar os seus músculos mesmo em contextos de jejum ou atividade física prolongada.

E não são apenas os tecidos musculares que se beneficiam desse tipo de limpeza: as células do sistema nervoso, especialmente os neurônios, se tornam mais saudáveis, robustas e melhores em formar novas conexões, num processo denominado neuroplasticidade, quando a autofagia é rotineiramente estimulada.”

Ou seja, a autofagia celular – e os seus benefícios – podem ser obtidos ao se praticar o jejum intermitente.

Benefício do Jejum Intermitente #6 – Combater O Stress Oxidativo E A Inflamação
Conforme falamos uma vez, parafraseando o Mark Sisson:

“A ciência demonstra que o stress oxidativo está ligado a diversas doenças em humanos, e por isso devemos sempre visar reduzir o dano oxidativo em nossas células – especialmente nas mitocôndrias.

E comer corretamente, evitar o stress e se exercitar apropriadamente (porque você não precisa fazer cardio extensivamente para ser saudável) são algumas maneiras simples de cuidar bem de nosso organismo.”

E, além das recomendações excelentes desse grande entusiasta Primal, podemos adicionar mais uma: praticar jejum intermitente.

(Sem contar o fato de que o JI pode ajudar a combater a inflamação, outro marcador associado a doenças degenerativas e envelhecimento.)

Desse modo, se você se interessa por combater doenças – e eu vou apostar que sim – o jejum intermitente é mais uma ferramenta para o seu arsenal.

Os próximos benefícios que abordaremos são promessas do jejum intermitente – e, apesar de haver evidências para corroborar esses benefícios (e nós pessoalmente apostamos nelas), é importante ressaltar que mais estudos em humanos são necessários.

Benefício do Jejum Intermitente #7 – Prevenção de Doenças Cardíacas
Num primeiro momento, podemos ser levados a pensar que não há nenhuma relação aparente entre pular refeições e o coração funcionar melhor…

Entretanto, o jejum intermitente melhora diversos dos fatores de risco associados à saúde cardíaca, como:

Pressão sanguínea,
Colesterol total e LDL,
Triglicérides,
Marcadores inflamatórios, e
Glicemia sanguínea
Porém, muitos destes resultados são baseados em estudos feitos em animais – e são necessários mais estudos em humanos antes de podermos afirmar categoricamente que eles se traduzem em resultados concretos para eu e você.

Benefício do Jejum Intermitente #8 – Possível prevenção do câncer
Embora, novamente, sejam necessários mais estudos em humanos, os estudos feitos em animais indicam que jejuar pode ser benéfico para ajudar a prevenir o câncer.

Além disso, em um estudo, pacientes humanos jejuaram antes e/ou depois de sessões de quimioterapia, e nenhum dos pacientes envolvidos reportou efeitos colaterais significativos (além de fome ou tontura).

O jejum os ajudou a reduzir os efeitos colaterais da quimioterapia como fadiga, fraqueza e enjoos, sem prejuízo de eficácia do tratamento (nos pacientes em que isso pode ser observado).

No entanto, queremos deixar claro – esses casos sugeriram que combinar jejum com quimioterapia pode vir a ser útil, mas de maneira alguma estabelecem novas diretrizes ou práticas – sendo necessários mais estudos.

Benefício do Jejum Intermitente #9 – Prevenção de Doenças Neurodegenerativas Como o Alzheimer
Como todos nós sabemos, a doença de Alzheimer é uma das doenças neurodegenerativas mais comuns na atualidade, atacando milhares de pessoas todos os anos.

E não há cura disponível para essa doença, o que torna sua prevenção (ou postergação) ainda mais importante.

Estudos em ratos mostraram que o jejum intermitente pode atrasar a aparição da doença de Alzheimer ou ao menos reduzir sua severidade.

Em muitos casos reportados, uma mudança de estilo de vida, incluindo jejuns diários já se mostrou significativa para atenuar os sintomas de Alzheimer em 9 de cada 10 pacientes.

Outros estudos em animais sugerem que jejuar pode proteger ainda contra outras doenças neurodegenerativas como doença de Parkinson e doença de Huntington.

De toda forma, mais pesquisas nesse âmbito devem ser feitas em humanos para se ter certeza que tais benefícios também se aplicam a nós.

Benefício do Jejum Intermitente #10 – Aumento da Expectativa de Vida

Por último, mas não menos importante, algumas pesquisas têm apontado na direção de que o jejum intermitente teria capacidade inclusive de aumentar alguns anos de sua expectativa de vida.

Na verdade esses ainda são estudos feitos em ratos mas que mostram que o JI, assim como uma restrição calórica contínua, leva a aumento de suas vidas.

Em um desses estudos, os ratos que praticaram algum tipo de jejum todos os dias viveram impressionantes 83% a mais que aqueles ratos que não jejuaram.

Ainda que tais benefícios não tenham sido estudos e provados em humanos, jejuar tem se tornado uma prática bem comum entre os entusiastas do anti-envelhecimento.

Dado os já conhecidos benefícios do JI para o metabolismo e todos os tipos de marcadores de saúde, faz sentido pensar que o jejum intermitente poderia ajudar a viver uma vida mais longa e saudável.

Jejum Intermitente: Quem Pode Fazer JI?

A maioria das pessoas saudáveis pode fazer o jejum intermitente sem nenhum tipo de prejuízo a sua saúde e ainda colhendo todos os benefícios que apresentamos acima.

Claro que algumas pessoas vão ter mais dificuldades que outras para iniciar algum protocolo de jejum intermitente, afinal não é fácil reverter o cenário de anos e anos se alimentando majoritariamente de carboidratos e comendo a cada 3 horas.

Felizmente, a ciência já vem derrubando tais mitos e provando que comer em intervalos regulares (a cada 3 horas, por exemplo) não passa de balela e que a melhor e mais saudável forma de emagrecer é restringindo os carboidratos e não apenas as calorias ou as gorduras.

Se olharmos para trás na história da humanidade, ou mesmo traçarmos um paralelo com outros mamíferos carnívoros, vamos perceber facilmente que se sempre tivéssemos sido adeptos de tais práticas, certamente não estaríamos aqui agora.

Quero dizer que o ser humano em sua história jamais teve comida disponível a cada 3 horas e, ainda assim, tinha energia para sair em busca de alimento mesmo após horas de jejum.

Então não venha me dizer que tá com dor de cabeça ou mau humor porque está há algumas horas sem comer – se chegou nesse ponto, talvez seja hora de parar e reavaliar seus hábitos.

Por outro lado, aqueles já adaptados a uma baixa ingestão de carboidratos, como em dieta low-carb, certamente irão encontrar muito menos problemas ao iniciarem a prática do jejum intermitente, afinal esses indivíduos já treinaram seu corpo a queimar preferencialmente gordura como fonte de energia – e não mais os carboidratos como no primeiro grupo de pessoas.

Mas é claro que pra toda regra há uma exceção…

Jejum Intermitente: Quem Não Deve Praticar JI?

JI para mulheres grávidas e lactantes
Na verdade, não existem pesquisas suficientes sobre os efeitos do jejum sobre um feto.

Devido a essa ausência de conhecimento na área, achamos que é mais prudente, tanto para o feto quanto para a mãe, evitar praticar JI durante a gestação.

O mesmo ocorre com as lactantes .

JI para crianças
Via de regra é pouco aconselhável permitir que as crianças jejuem.

Inclusive, na Europa, há um grande debate acerca de permitir que as crianças jejuem durante o Ramadã (um mês durante o qual os muçulmanos praticam o jejum intermitente por motivos religiosos).

Por outro lado, também não achamos ideal obrigar uma criança a comer, ainda mais em se tratando de lanches poucos saudáveis à base de açúcar e farinha refinados.

JI para pessoas com desordens alimentares
Não é recomendada a prática de jejum intermitente para pessoas que sofrem com doenças como anorexia ou bulimia.

JI para pessoas que se recuperam de cirurgia ou enfermidade grave
Após uma intervenção médica, o ideal é que se leve algum tempo para se recuperar antes de iniciar um jejum.

Sendo que apenas um médico poderá avaliar caso a caso.

JI para pessoas com certas condições médicas
Você não deve iniciar a prática de jejuar se tem algum tipo de diabetes ou faz uso contínuo de medicamentos.

Também não é aconselhável o jejum intermitente se você apresenta alguma doença no fígado ou nos rins, se é extremamente magro, desnutrido, anêmico ou exausto.

Ou mesmo se você tiver um sistema imunológico enfraquecido, pressão arterial elevada, diabetes dependente de medicamentos ou fraca circulação causando desmaios freqüentes.

Em todos esses casos, você deve sempre consultar um médico de sua confiança e estar sob seus cuidados durante o jejum.

Com muitas condições, é possível jejuar, mas quanto mais grave a condição, mais você precisa de apoio profissional durante um jejum para evitar quaisquer problemas.

Se você estiver em qualquer medicação prescrita, as suas necessidades para esse medicamento podem variar de dia para dia, tornando necessário que você tenha um médico monitorá-lo diariamente.

JI para pessoas com medo de praticar jejum intermitente
O medo não o coloca no bom estado de emocional para jejuar e pode levar a uma experiência desagradável.

Emoções fortes, como o medo, são conhecidas por alterar os processos fisiológicos do corpo.

Em vez disso, prefira embarcar em um jejum de maneira relaxada e confiante, e esteja aberto para as mudanças positivas que jejum proporciona.

É válido lembrar que se você não tem certeza se pode praticar jejum intermitente ou, principalmente se pretende praticar jejuns de água ou jejuns com mais de 3 dias de duração (os quais nós não recomendamos e não vemos nenhum benefício que justifique tais práticas) nossa recomendação é que você sempre consulte um profissional de sua confiança antes de mais nada.

Um Resumo Sobre Jejum Intermitente

A coisa mais importante a ser lembrada em se tratando de jejum intermitente é que ele não é uma “dieta”, mas sim uma maneira de se alimentar.

Inclusive o ji é uma prática que é associada a uma dieta, como a low-carb.

Ou ainda: um estilo de vida nutricional que permitirá que você alcance seus objetivos de forma eficiente, conveniente e que torna possível a manutenção dos resultados obtidos.

É claro que fazer jejum intermitente não é uma prática para todos e nem tampouco é o plano perfeito para ter o corpo dos seus sonhos, mas, certamente, é uma forma muito eficaz de perder peso.

Além dos benefícios hormonais inerentes à prática, você também se sentirá mais saciado ao comer, sentirá fome menos frequentemente, provavelmente aumentará sua expectativa de vida e ainda economizará algum dinheiro na conta do supermercado.

Ou seja, o jejum intermitente é bem aceito assim que as pessoas se informam mais a respeito dele – e por um simples motivo: ele funciona e traz benefícios reais aos praticantes.

Em outro texto, iremos discutir as diversas formas de se praticar o jejum intermitente, abordando as teorias e o raciocínio por trás de cada protocolo, bem como os profissionais de fitness que popularizaram cada um deles.

Até o próximo texto!

Curiosidade: Este texto foi escrito ao longo de muitas manhãs em que experimentávamos o jejum intermitente.

Afinal de contas, conforme algumas pessoas relatam, o jejum intermitente aliado a uma dieta cetogênica pode ser considerado uma forma de biohacking para se atingir uma melhor clareza mental.

11 produtos naturais para perder peso rápido

Nossa aparência sempre será muito importante, seja por questões de saúde ou estética. Por isso, te mostramos 11 produtos naturais para perder peso rápido.
Fator de proteção solar adequado para sua pele
Remédios maravilhosos com batata
Remédios à base de ervas para aliviar as náuseas

183
Compartilhado

Nossa aparência sempre será muito importante, seja por questões de saúde ou estética. Por isso, aqui te mostramos 11 produtos naturais para perder peso rápido.

Diversas ações pouco saudáveis como sedentarismo e consumo de alimentos nocivos para nosso corpo acabam gerando problemas de sobrepeso.

Sempre se recomenda procurar reduzir o sobrepeso e para isso deve-se levar em consideração a dieta e um aval do médico.

Perder peso muitas vezes é difícil, mas se torna mais fácil se tivermos como auxílio alguns produtos naturais.

Produtos naturais para perder peso rápido
Como mencionamos anteriormente, perder peso está se tornando uma necessidade mais do que estética, e sim de saúde.

Sendo assim, a melhor maneira de poder conseguir perder peso é utilizando plantas naturais que não afetarão sua saúde. A seguir oferecemos uma série de nomes de plantas e suas respectivas recomendações.

Leia também: 7 conselhos fáceis para perder peso rápido e de forma saudável

Fucus Vesiculosus
É uma planta marinha e, assim como a maioria das algas, também possui um alto teor de iodo.

O alto conteúdo em iodo ajuda a estimular a ação da glândula tireoide, o que ajuda a combater a obesidade.

Além do iodo, possui sais minerais, tais como potássio, bromo, magnésio, cálcio, ferro, entre outros.

Estigmas de milho
Estigmas são as estruturas que envolvem a espiga do milho, também recebem o nome de barbas ou cabelos de milho.

Esta parte do milho tende a ser um dos diuréticos e depurados mais importantes que a natureza nos oferece. Além disso, possui outras propriedades benéficas que ajudam a perder peso rápido.

Alcachofra

Em geral utilizamos a alcachofra como um alimento e é uma das formas nas quais podemos aproveitar de seus benefícios. No entanto, para poder obter todas as suas propriedades, recomenda-se preparar suas folhas por infusão, decocção ou maceração.

Bétula
Esta árvore está indicada como um diurético e para combater a obesidade, entre outros diversos benefícios. A ideia é preparar uma infusão, denominada como infusão diurética de bétula.

Chá vermelho Pu Erh

A maioria dos chás tende a contribuir para a perda de peso. No entanto são o chá verde, e especialmente o chá vermelho, os mais aconselhados para emagrecer.

O chá vermelho possui uma excelente reputação como um grande devorador de gorduras, e, além disso, existem muitas dietas para perder peso que incluem a ingestão de 3 ou 4 xícaras. Então, você se pergunta “Por que”?

Pois bem, o chá vermelho aumenta o gasto calórico pelos efeitos que produz no fígado e ao mesmo tempo é um depurador do organismo.

Leia também: melhor Remédio caseiro para emagrecer

Aloe vera
A babosa é mais conhecida pelo seu uso em dietas desintoxicantes, mas isso não significa que não sirva para emagrecer. O suco de aloe vera é mais do que recomendado, graças ao seu efeito de melhorar a digestão e de limpar o organismo de toxinas em poucos dias.

Leia também: Kifina preço

Conheça: 4 combinações de alimentos para perder peso facilmente

Ginseng

(Foto: Lachlan Towart/ Flickr.com)
O ginseng é um dos melhores produtos naturais para perder peso rápido. Muito conhecido pelas suas propriedades na hora de queimar gorduras, ele aumenta a energia e o metabolismo.

Leia também: Phytophen preço

O ginseng siberiano é um dos mais recomendados, já que reduz a vontade de comer coisas doces e traz energia para o corpo de forma natural.

Pimenta-caiena
A pimenta-caiena contém um composto chamado capsaicina, este composto é que traz o sabor quente e picante da pimenta. Mediante a ingestão de calorias, a pimenta reduz o tecido gorduroso e os níveis de gordura no sangue, desta forma, contribui para a perda de peso rapidamente.

Leia também: Farinha seca barriga preço

Canela

A canela tem a capacidade de aumentar o metabolismo de um modo muito rápido e também apresenta diversos benefícios na hora de regular os níveis de açúcar no sangue.

O mais importante, além do que foi dito anteriormente, é que ajuda a reduzir os triglicerídeos, o colesterol e melhora o metabolismo da glicose, o que é relevante para impedir sentir fome durante o dia.

Chá de aipo para perder peso
Deve ser preparada uma infusão em água fervendo. O chá de aipo é uma bebida excelente para emagrecer, pois ajuda a regular os níveis de glicose no sangue, a pressão arterial e também evita os maus reumáticos.

Algo importante: ela deve ser a única bebida a ser ingerida no dia, durante três dias consecutivos.

Menta

É uma planta muito recomendada para perder peso. Além de aumentar o metabolismo digestivo, elimina as toxinas e os resíduos do corpo.

5 combinações de ervas que ajudam a emagrecer

Misturar ervas termogênicas, desintoxicantes e diuréticas em um único chá é uma ótima estratégia para quem quer perder alguns quilinhos

Tomar chá diariamente é o segredo para acelerar o metabolismo e perder as gordurinhas indesejadas. Mas, para isso, é preciso saber combinar as ervas certas. A dica é beber de três a quatro xícaras de uma infusão preparada com ervas termogênicas (favorecem a queima de gordura), desintoxicantes (eliminam as toxinas, deixando o organismo menos resistente ao emagrecimento) e diuréticas (evitam a retenção de líquido).

Veja também

DIETA
10 soluções práticas para desintoxicar
query_builder2 jan 2018 – 15h01
Antes que você fique tentada a acrescentar mais de três ervas na mesma xícara, atenção: essa é uma medida segura. “O uso de muitas plantas faz com que elas entrem em competição, diminuindo o efeito uma da outra. E o objetivo é justamente o contrário: permitir que elas trabalhem em sinergia, aumentando o efeito emagrecedor do chá“, explica a fitoterapeuta e nutricionista Vanderli Marchiori, presidente da Associação Paulista de Fitoterapia. Outro procedimento importante: “Procurar sempre adquirir as ervas em lojas especializadas, que garantam o manuseio e armazenamento corretos das plantas.”

Só mais uma observação para o sucesso da dieta: mantenha o mesmo mix de ervas por três dias. “As plantas precisam desse tempo para que possam agir de maneira eficiente no organismo e, então, acelerar o emagrecimento”, orienta Vanderli. Depois, mude a combinação para criar um novo estímulo e evitar qualquer risco de toxicidade.

Veja também

DIETA
Dieta do chá de hibisco elimina até 4 quilos em 15 dias
query_builder25 maio 2014 – 22h05
As ervas que vão secar os excessos
Escolha uma erva de cada grupo e prepare seu chá emagrecedor. Lembre-se: consuma a mesma mistura por três dias. Depois disso, faça uma nova combinação.

Termogênicas: efeito queima-gordura

Elas fazem com que o metabolismo trabalhe mais rápido, aumentando a queima de calorias e, consequentemente, de gordura. Algumas também têm ação lipolítica (quebram a molécula de gordura já acumulada no organismo), além de reduzir os níveis de colesterol.

Boldo (Pneumus boldus), carqueja (Baccharis trimera), chás verde, branco e vermelho (Camellia sinensis), casca de laranja amarga (Citrus aurantium), fucus (Fucus vesiculosus), guaçatonga (Caesaria sylvestris), hibisco (Hibiscus sabdariffa) e salsaparrilha (Smilax spp).
Desintoxicantes: ação limpeza

Capturam e eliminam pela urina a gordura e as toxinas que sobram do processo metabólico – circulando em excesso no organismo, essas substâncias atrapalham o bom funcionamento do sistema linfático e emperram a perda de peso. As ervas desse grupo também reduzem a formação de gases, evitando a sensação de barriga inchada e volumosa.

Alecrim (Rosmarinus officinalis), bardana (Arctium lappa), camomila (Matricaria recotita), capim -cidreira (Cymbopogum citrato), cardo-santo ou cardo-mariano (Carduus sanctus), centelha (Centella asiatica), coentro (Coriander spp), dente-de-leão (Taraxicum officinalis), erva-doce (Pinpinella anisum), espinheira-santa (Maytenus ilicifolia), hortelã (Mentha piperita) e sálvia (Salvia officinalis).
Diuréticas: fim da retenção hídrica

Favorecem o trabalho dos rins na filtragem da linfa (líquido que carrega as impurezas para fora do organismo). Isso facilita a eliminação das toxinas pela urina, combatendo o inchaço e ajudando o organismo a responder melhor à dieta.

Alfafa (Medicago sativa), borragem (Borago officinalis), cabelo de milho (Zea mays), cavalinha (Equisetum arvense), quebra-pedra (Phyllantus niruri) e sete sangrias (Cuphea balsamona).
Veja também

DIETA
Tire as dúvidas sobre os chás que desintoxicam e afinam a silhueta
query_builder9 jun 2014 – 22h06
5 boas combinações
Se tiver dúvida na escolha das ervas, siga as sugestões da nutricionista e fitoterapeuta Lucyanna Kalluf, diretora do Natunutry Núcleo Nutrição e Clinica Personalizada, em São Paulo.

1. Chá branco + hibisco + carqueja: o mix exerce ação desintoxicante, eliminado toxinas e gordura, além de melhorar o funcionamento do intestino. E tudo isso faz você perder peso.

2. Dente-de-leão + centelha + alfafa: com alto poder diurético, drena o excesso de líquido e ajuda a varrer para fora do organismo as toxinas que, em excesso, fazem você acumular peso.

Leia também: comprar Kombucha

3. Chá-verde + boldo + cavalinha: potente termogênico, acelera a queima de gordura. Também auxilia na limpeza das toxinas, fazendo o organismo responder melhor à dieta.

Leia também: Kifina Anvisa

4. Carqueja + centelha + cavalinha: tem efeito diurético, pois melhora o funcionamento do fígado. Isso ajuda a desinchar rapidamente, deixando a barriga mais lisinha.

Leia também: Phytophen reclame aqui

5. Dente-de-leão + chá-verde + hibisco: acelera a queima de gordura, além de melhorar o metabolismo do açúcar e da gordura. Com isso, evita que essas substâncias colaborem para o aumento da cintura.

Assine nossa newsletter e fique por dentro das últimas notícias de BOA FORMA

Passo a passo
Preparar o chá da maneira correta é essencial para deixar a bebida mais gostosa e eficiente contra as gordurinhas. Siga estas dicas:

Coloque as ervas (1 colher de sopa de cada uma, com exceção do chá-verde que deve ser usado em menor quantidade: apenas 1 colher de sobremesa) em um recipiente de vidro ou porcelana. Metais como inox ou alumínio interferem negativamente nas propriedades do chá. Em uma panela à parte, leve 1 litro de água ao fogo e, assim que começar a ferver, jogue sobre as ervas. Abafe com uma tampa ou um pires por 10 minutos. Coe e beba frio ou quente, no intervalo das refeições.
Faça apenas a quantidade de chá que você vai consumir no dia. De um dia para o outro, a bebida perde as propriedades fitoquímicas e deixa de promover os efeitos esperados.

Emagrecer: 20 dicas para perder peso rápido e com saúde

Siga as dicas para turbinar a dieta e eliminar a barriga

Para emagrecer com saúde é necessário que o corpo gaste mais calorias do que consome. É por isso que as duas medidas mais importantes para chegar ao peso ideal são ajustar hábitos alimentares e praticar atividades físicas. Mas isso deve ser feito de forma gradativa e com um cardápio saudável e variado. Siga as dicas para emagrecer de forma saudável:

Saiba mais: Berberina: conheça os benefícios e como usar
Dica #1:Consuma alimentos que queimam a gordura
Alguns alimentos ajudam a emagrecer porque estimulam a queima de gordura. O chá de hibisco, lichia, farinha de amora estão entre eles.

Dica #2: Consuma alimentos que desincham
Alimentos ricos em ômega 3 (salmão, atum, sardinha, arenque, cavala, linhaça, castanhas) contribuem para o emagrecimento devido à ação anti-inflamatória. Conheça a dieta anti-inflamatória.

Dica para emagrecer #3: Aumente a saciedade
Alimentos ricos em fibras proporcionam maior saciedade, logo a fome demora mais a aparecer, o que ajuda você a perder peso. As principais fontes de fibras são: frutas, cereais integrais, como arroz, trigo, centeio, cevada e a aveia. As leguminosas, como feijões, lentilha, grão de bico e ervilha e as verduras e legumes também contam com boas quantidades de fibras. As sementes, como a chia, linhaça e semente de abóbora, também tem fibras. Saiba tudo sobre as fibras.

Dica #4: Consuma alimentos que aceleram metabolismo
Os alimentos com ação termogênica estimulam a maior queima de calorias. Os principais alimentos termogênicos são: pimenta, chá verde, canela, gengibre e café. Veja os benefícios dos alimentos termogênicos.

Dica para emagrecer #5: Faça lanchinhos!
O ideal quando se quer perder peso é fazer as três refeições principais (café da manhã, almoço e jantar) e dois ou três pequenos lanches. Isso manterá seu metabolismo funcionando o dia inteiro, dará mais saciedade, diminuindo a fome fora de hora, e impedirá que você exagere nas grandes refeições. O intervalo entre cada refeição deve ser de no mínimo 2 horas.

Saiba mais: Perder barriga rápido: dieta e exercícios para emagrecer
Dica #6: Invista em um prato equilibrado e variado
Uma alimentação saudável pede equilíbrio de nutrientes e variedade de alimentos. Vale investir em frutas, legumes, verduras. Não se esqueça de completar o menu com diferentes tipos de carnes, cereais, leguminosas (feijão, lentilha), leites e derivados, grupos alimentares essenciais para a alimentação diária.

Dieta Dukan
Dieta Detox
Dieta da sopa
Dieta da USP
Dieta líquida
Dieta da banana.
Dica #7: Evite fazer dietas restritivas
Dietas que cortam drasticamente as calorias ou algum componente específico, como os carboidratos por exemplo, são consideradas restritivas. Para perder com saúde o esperado é perder entre meio quilo e um quilo por semana. Mais do isso pode ser sinal de que você não está realizando a dieta mais adequada. A alimentação monótona e com pouca variedade de alimentos não traz todos os nutrientes que o corpo precisa, podendo até afetar a imunidade e o corpo mais vulnerável a doenças. Dieta dos shakes, dieta sem glúten e dieta da sopa são alguns exemplos de dietas restritivas.

Dica #8: Invista nos chás que ajudam a emagrecer
Alguns deles, como o chá verde, chá preto e o chá de canela, estimulam a queima calórica. Enquanto o chá de hibisco contribui para que menos gordura fique acumulada no abdômen. Veja os chás que contribuem para a perda de peso.

Dica #9: Pratique exercícios que queimam gordura
A Organização Mundial de Saúde recomenda praticar ao menos 150 minutos de exercícios moderados por semana para uma pessoa ser considerada ativa. Ou seja, praticando uma hora de exercício em três dias na semana (180 minutos), você já ultrapassa essa meta! Para queimar gordura e emagrecer é importante investir em atividades aeróbicas como: caminhadas, corridas, bicicleta, dança, natação, entre outros.

Dica #10: Não deixe de ganhar músculos
Praticar exercícios de força, como a musculação e pilates, também são superimportantes para ganhar músculos e fazer o corpo gastar calorias. Veja os benefícios da musculação para emagrecer

Dica #11: Tenha cuidado com as dietas da moda
Existem uma série de dietas que prometem o emagrecimento rápido. Fique atento a que custo essa perda de peso é alcançada. Muitas delas levam à perda de músculos, o que é especialmente prejudicial para quem quer emagrecer e manter o peso depois disso. Algumas dessas dietas são:

Dica #12: Diminua o consumo de sal e açúcar
O sal é o principal fonte de sódio, mineral que em excesso no organismo aumenta o risco de hipertensão e a retenção de líquido. Já o açúcar consumido em excesso se transforma em acúmulo de gordura, principalmente na região da barriga. Alimentos fontes de carboidratos simples são ricos em açúcar. Entre eles estão: açúcar de adição, refrigerantes, doces e os que contam com muita farinha branca, como pães, massas e bolos.

Leia também: Kifina é bom

Dica para emagrecer #13: Saiba quando alguma coisa está errada com a dieta
Alguns sinais de que o emagrecimento rápido está prejudicando sua saúde são: queda de cabelo, unhas fracas e quebradiças, desânimo, fraqueza, indisposição, tontura, flacidez e constipação intestinal.

Leia também: Phytophen é bom

Saiba mais: Dieta para perder barriga: cardápio e alimentos que ajudam a reduzir gordura
Dica #14: Fique longe da gordura trans
Este tipo de gordura pode ser encontrada em alguns biscoitos, sorvetes, bolos industrializados, entre outros alimentos. A gordura trans aumenta o LDL (colesterol ruim para o organismo) e diminui o HDL (colesterol bom). Além disso, age também aumentando os triglicerídeos que pode ser armazenado no tecido adiposo. Veja os riscos da gordura trans e onde é encontrada. Veja os riscos da gordura trans e onde é encontrada

Leia também: Dietas de emergência

Dica #15: Reduza o consumo de gordura saturada
O consumo de gorduras saturadas em excesso está relacionado ao acúmulo de gordura no organismo, ou seja, dificuldade para emagrecer. Os alimentos com grandes quantidades de gorduras saturadas são: carnes vermelhas, leite integral, manteiga e queijos.

Dica #16: Fique de olho nas calorias dos alimentos
Olhar o rótulo dos alimentos é uma boa maneira de controlar o consumo de calorias. Saiba que os carboidratos possuem 4 calorias por grama, enquanto as proteínas também contam com 4 calorias por grama e as gorduras possuem 9 calorias em cada grama. Aprenda a decifrar os rótulos dos alimentos .

Dica #17: Beba uma média de 2 litros de água por dia
Consumir os líquidos certos contribui e muito para emagrecer de forma saudável. A recomendação é ingerir entre 30 a 35 ml por kg de peso corporal de líquidos, o que em média fica em torno de 2 litros por dia. Veja a importância de tomar água durante o dia para o emagrecimento e dicas de consumo.

Saiba mais: Dietas para emagrecer com saúde e mais rápido
Dica para emagrecer #18: Maneire na cervejinha
O álcool é uma substância tóxica para o organismo e o fígado dá preferência para metaboliza-lo primeiro. Essa mudança no metabolismo do fígado favorece o acúmulo de gordura no organismo. Veja os riscos do consumo em excesso de álcool para a saúde

Dica para emagrecer #19: Descubra qual é o seu peso ideal
O Índice de Massa Corporal (IMC) é uma maneira de avaliar se o peso da pessoa está dentro do considerado saudável ou não. Ele é calculado por meio do peso em quilogramas dividido pela altura ao quadrado (Kg/m²). Apesar de não mostrar a proporção de gorduras e músculos do corpo humano, o IMC ajuda a ter uma noção sobre se o peso do indivíduo está dentro do considerado saudável ou não. Calcule aqui seu IMC e descubra seu peso ideal. .

Dica #20: Reduza o consumo diário de calorias
Para emagrecer rápido muitas pessoas optam por uma redução extrema de calorias. O consumo inferior a 1200 calorias por dia não é orientado para a perda de peso e pode levar a problemas como fraqueza, desmaio e, claro, efeito sanfona. Veja como cortar as calorias extras das refeições.

Creme Hidratante para Celulite

Olá queridas! Esse é um post com a compilação dos melhores produtos escolhidos pelas leitoras na seção de posts Nota 10, Nota 0.

O post de hoje é sobre creme para celulite.

Para ver o post original Nota 10, Nota 0 creme para celulite, entre aqui.

Qual o melhor creme para celulite segundo as leitoras do Beleza e Saúde?
1. Vichy Celludestock Creme Anticelulite

Os ingredientes presentes em Celludestock Vichy atuam em sinergia para intervir sobre o aspecto da celulite, suavizando a pele e auxiliando na quebra de gordura. É um gel creme anti celulite avançado, com textura leve, hidratante e não oleosa. Preço médio 135,00

2. Gel Redutor de Celulite com Dmae, Bio-Médicin

O gel redutor de celulite com Dmae da Bio-Médicin auxilia no cuidado corporal da gordura localizada, celulite e flacidez, proporcionando à pele um aspecto mais liso, firme e saudável. Possui fácil espalhamento, rápida absorção e uma agradável sensação. Disponível na Dafiti.

Leia também: Skin renov reclame aqui

3. Elancyl Cellu Reverse

É um tratamento exclusivo carregado de agentes tensores, refirmantes e anti-armazenamento para ação direcionada e altamente eficaz no combate à celulite abdominal.A textura gel-creme hidratante é ideal para a massagem, deixando a pele firme, tonificada e suave. Preço médio R$ 140,00

4. Sistema Modelador Cellu-Shape Mary Kay

Estimula a atividade celular e aumenta consideravelmente o nível de hidratação. Fortalece o sistema de sustentação minimizando os sinais visíveis da celulite. Sua poderosa combinação de ingredientes, incluindo extratos botânicos, uniformiza a superfície e deixa a pele com sensação de hidratação o dia todo.

Leia também: Creme firmador

5. Bye Bye Celulite e Firmador com L-Carnitina e Coenzima Q10, Nivea

O produto promete atuar diretamente nas células de gordura, ajudando a melhorar o aspecto da celulite e a firmeza da pele, além de manter sua elasticidade e ajudar na prevenção da formação de novas celulites. Os resultados começam a aparecer depois de duas semanas de uso contínuo, sem necessidade de massagem. Disponível nas drogarias Onofre e Araújo.

As informações dos produtos são dos próprios fabricantes.

Vocês concordam com o post? Ou não?

Esse post do Nota 10 Nota creme para celulite é um pouco antigo. Possivelmente algumas opiniões já mudaram de lá para cá, além de também terem surgido novas ampolas no mercado. Então, compartilhe nos comentários sua opinião sobre qual seu creme para celulite favorito!

Para quem quiser interesse pesquisar outros cremes anti-celulite, uma dica é a loja online Época Cosméticos. Sempre lembrando que esses cremes não fazem efeito sozinhos: é preciso praticar exercícios físicos e ter uma alimentação balanceada. Para que o efeito seja eficaz, é necessário usar o creme 2 vezes ao dia.

Ereção suave: dicas para uma sexualidade saudável

Faça longas preliminares . E pergunte ao seu parceiro para buscar carícias sexuais diretas profissionais Eles irão ajudá-lo a obter o melhor de sua ereção outro lado, se o seu parceiro é a mesma idade que você, suas respostas sexuais são. para ela também, mais de 20. Portanto, não tenha vergonha de ter que levar mais tempo. Essa fase preliminar pode promover cumplicidade e ser benéfica para ambos.

– Atreva-se a penetrar antes que sua ereção seja perfeita. O contato com a umidade, o calor e a pressão vaginal tendem a aumentar a ereção quase que de modo reflexo. E é uma sensação agradável para uma mulher sentir o sexo de seu parceiro mudar dentro de sua intimidade. Não imagine que seja para ela menos interessante que a penetração com um sexo muito duro.

– Pratique a musculação do períneo. É uma questão de contrair todos os dias os músculos que servem para conter a urinar, e que pelo menos 50 a 60 vezes. Esses músculos são uma espécie de esponja cheia de sangue que funciona como um reservatório disponível. E quando eles são fortalecidos através de exercícios regulares, eles melhoram significativamente a qualidade da ereção. 

– Você pode usar medicamentos. Eles permitem encontrar uma ereção comparável àquela que você tinha dez ou quinze anos atrás. Sem buscar desempenho, é legítimo querer manter uma sexualidade saudável. Seu médico pode prescrevê-lo se não houver contraindicação. Estes não são estimulantes, mas facilitadores da ereção. Só eles não o provocam, mas aumentam o fluxo de sangue à medida que ocorre. Seu efeito é, portanto, muito natural, apenas dando a sensação de que “funciona” melhor do que o habitual “.

Soluções para combater sua ereção suave.

Se o seu problema está no seu relacionamento: fale sobre isso! Você está entediado? Então mude o ar, um fim de semana romântico com massagens, música de fundo e longas preliminares elevarão a temperatura e naturalmente. Você está estressado por problemas financeiros ou de trabalho, veja com a sua metade como isso pode ajudá-lo a se tranquilizar para que você possa encontrar o seu prazer . Não negligencie o seu bem-estar, o casal yoga pode ser uma atividade que você tenha sucesso!

Se o problema persistir, existem várias outras soluções:

  • A bomba peniana: Assim como a compra de um vibrador, a bomba peniana é uma compra que você pode fazer discretamente graças à chegada de sites de comércio on-line. Você recebe seu pacote diretamente em casa, a eficácia desta ferramenta é mais para apresentar a você para ver se você está confortável com esta prática que você pode realizar sozinho ou com o seu parceiro.
  • As drogas para dar-lhe um impulso: O inevitável Viagra pode ajudá-lo, como parte da compra, no entanto, não se arrisquem a automedicação, você precisa de uma receita médica, então fale com seu médico. médico. Durante vários anos, outras pílulas estão desenvolvendo o goviril . A promessa dessa ajuda é permitir que você recupere sua ereção sem problemas e também seja capaz de aumentar o tamanho do seu pênis na mesma ocasião. As avaliações dos clientes proliferam na internet e todos parecem felizes com os resultados. Por que não tentar?
  • Os remédios da vovó também são seus aliados. Você pode usá-los, além do tratamento goviril, uma vez que eles são bastante naturais e, portanto, em nenhum caso contra indicado. Incorporar gengibre, tâmaras secas e nozes à sua dieta pode aumentar suas chances de sucesso de uma maneira muito simples.
  • Estimulante sexual masculino chamado Tauron.

Dicas para melhorar a compatibilidade sexual

Muitas mulheres acreditam erroneamente que a libido masculina vem exclusivamente da atração física que um homem pode sentir por elas. E ainda, há outro fator determinante de um bom acordo sexual , é o clima diário que reina em seu casal. Quanto mais você for capaz de fazer com que o homem se sinta confiante e solto, mais você o fará querer fazer sexo freqüente.

Se, ao contrário, você está em conflitos perpétuos, inevitavelmente terá uma atração física que diminuirá, e é necessário estar ciente de que um moral negativo significa poucas relações sexuais diariamente. Na mesma linha, existem vários fatores a serem considerados que podem criar um bloqueio no seu querido, como estresse, depressão ou preocupações.

Um casal feliz é uma libido mantida!

O primeiro conselho que dou às mulheres que acompanho e que querem melhorar sua vida de casal é sempre cuidar do “coração” de seu relacionamento. Se você quer que seu homem tenha uma libido um pouco mais importante, então é necessário que sua vida diária seja satisfatória e especialmente que você encontre o caminho para compartilhar momentos de qualidade a dois. Em suma, conto com você para alimentar a “cumplicidade” que continua sendo o motor do seu relacionamento.

Conheça o estimulante sexual masculino chamado Big Size.

Se você pode reduzir todo o negativo para saber: crises diárias, conflitos, reprovações, ataques pessoais e rotina, então você pode rapidamente promover a libido de seu homem, mas especialmente você se concentra no positivo para saber como inovar para responder a novos desejos (de você ou dele), especialmente se você esteve junto por um tempo e a monotonia sob o edredom tomou conta.

Se há uma lassidão sexual ou uma rotina sexual , então inevitavelmente este aspecto impactará seus desejos de sexo e ele estará distante quando você o quiser, simplesmente porque ele já saberá “o filme do progresso do ato”. “. Então, conselhos para manter sua libido: inovar!

Por que um homem não quer mais fazer amor?

Quando um homem brilha e mostra um distanciamento sexual, primeiro você deve se alertar porque é uma situação negativa para o seu relacionamento. Não há necessidade de continuar a cometer o pior erro de fazer a ele dezenas de perguntas que vão sufocá-lo e fazê-lo fugir ainda mais.

Você tem que considerar que quando um homem não quer mais ter sexo , é porque ele não é mais atraído e / ou excitado. Eu recomendo que você faça uma ligeira distância para se concentrar exclusivamente em você: você tem o peso a perder ou a recuperar? Você tem uma espécie de guarda-roupa para fazer? Você precisa parar de tentar chegar até você para conquistá-lo? Há muitas perguntas que podem ser feitas, pois existem dezenas e dezenas de problemas, mas cabe a você encontrar a pergunta que permitirá que você veja com mais clareza. É por isso que você precisa analisar as coisas e o contexto em profundidade.

Portanto, você deve tentar fazer um ponto concreto nos bloqueios que podem fazer com que seu homem não deseje mais você. Você pode então agir para reviver sua libido e excitação, mas somente depois de ter recuperado sua autoconfiança e a sedução retornará em seu relacionamento.

Para todas as mulheres que dizem: “Sim, mas é muito difícil saber exatamente o que ele quer e o que ele espera de mim, então me sinto mal” ou “Mas depois de tantos anos Não há sedução entre nós “, então é hora de agir e implementar seus esforços. Você obterá o fruto do seu trabalho depois de ter decidido agir.

Diferença entre rugas e linhas de expressão

Diferença entre rugas e linhas de expressão

Possivelmente, você já se olhou no espelho e percebeu algumas rugas no rosto. Acontece que nem todos os sinais que você viu são rugas. Alguns são linhas de expressão. Sim, existe diferença entre rugas e linhas de expressão. A principal é a maneira como se formam.

Qual é a diferença entre rugas e linhas de expressão?
As linhas de expressão são provocadas pelos músculos da face que movimentamos ao nos expressar. Para entender melhor, pegue um espelho e, olhando-se nele, faça uma cara de desaprovação. Perceba como a testa se enruga. Agora, relaxe e observe novamente sua testa. Consegue notar algumas linhas, no mesmo local em que a pele ficou enrugada? Essas são as linhas de expressão.

Leia também: Creme para rugas funciona

O movimento repetitivo, com o passar do tempo, deixa essas linhas mais evidentes na pele, até que se tornam definitivas, como as rugas. Estas, por sua vez, são causadas por diversos fatores:

o envelhecimento natural da pele, que a faz perder o tônus e a sustentação, facilitando a formação das rugas;
a exposição solar em excesso, que colabora com o envelhecimento precoce da pele e ajuda a enfraquecê-la;
o tabagismo (as substâncias contidas no cigarro agridem a pele);
a genética, que torna algumas pessoas mais predispostas à formação de rugas.
Por que se formam
Geralmente, é a partir dos 30 anos que a pele começa a demonstrar os primeiros sinais do envelhecimento. Mas, caso haja predisposição genética para desenvolvê-los, estes sinais podem surgir já aos 25 anos.

Leia também: Skin renov bula

As linhas de expressão são as primeiras a aparecer, em função da contração e do relaxamento constantes da musculatura da face. Elas se desenvolvem, principalmente, se o organismo já começou a sofrer alteração na produção de colágeno e elastina devido ao envelhecimento. É quando isso acontece que começam a aparecer as rugas finas e as manchinhas de sol.

A falta de estímulo à renovação celular, logo que os primeiros sinais são percebidos na face, favorece, ainda mais, a formação de linhas de expressão e rugas em algumas partes do rosto. As mais comuns são as que surgem na testa, entre as sobrancelhas, no canto dos olhos (pés de galinha), entre o nariz e a boca (código de barras e bigode chinês), e entre a boca e o queixo (linhas de marionete).

Há como tratar
Não só há diferença entre rugas e linhas de expressão, como também existe uma maneira de tratar cada uma delas. O indicado para impedir que as linhas de expressão se formem é aplicar toxina botulínica. A substância suspende temporariamente o movimento muscular do rosto, o que beneficia diretamente a aparência da pele.

Junto com a aplicação da toxina botulínica, o cirurgião plástico pode sugerir que sejam feitas injeções de ácido hialurônico, substância usada no preenchimento facial, para tratar as rugas. O preenchedor recupera o volume perdido, auxilia na hidratação e estimula as células a produzir colágeno novamente.

10 Remédios Para Emagrecer Sem Receita Mais Vendidos

10 Remédios Para Emagrecer Sem Receita Mais Vendidos

Antes de mais nada, é importante deixar claro algumas questões. Não é recomendável a compra de remédios para emagrecer sem receita e sem recomendação médica. É importante sempre consultar um médico antes de consumir qualquer medicamento.

O problema da compra de remédios para emagrecer sem receita (ou qualquer medicamento) é que, muitas vezes, os efeitos prometidos pela embalagem do produto não são sentidos pelo consumidor e ainda podem trazer efeitos colaterais. Sendo assim, antes de se aventurar com um produto, mesmo que ele tenha sido recomendado por um amigo ou familiar, procure um médico e conheça todas as peculiaridades da substância e seus prováveis efeitos colaterais.

Outro problema dos remédios sem receita é que, justamente por não precisarem de prescrição médica, seus efeitos são muito duvidosos. Sendo assim, listamos alguns dos remédios para emagrecer sem receita mais famosos, para que você conheça cada um e procure seu médico para saber exatamente qual o melhor para você.

Leia também: Kifina Anvisa

Remédios para emagrecer sem receita
Uma das principais promessas dos remédios para emagrecer é a diminuição do apetite, a aceleração do metabolismo (efeito dos termogênicos) e a queima de gordura. Listamos os principais remédios para emagrecer sem receita e que seguem os pontos-chave da perda de peso, que são:

Bloquear os carboidratos, que são grandes inimigos da perda de peso. Quando bloqueia-se a capacidade do corpo de absorver esses nutrientes, há uma redução da ingestão de calorias;
Reduzir o apetite, o que evita as famosas comilanças nos períodos errados. Determinados remédios reduzem o apetite e, consequentemente, colaboram com a diminuição do consumo de calorias;
Aumentar a queima de calorias, impulsionando o metabolismo. Os termogênicos são os principais responsáveis por esse efeito;
Reduzir a gordura, sendo que existem alguns compostos que realizam esse efeito de “derreter” a gordura.
Assim, seguindo a ordem dos pontos-chave, temos os seguintes remédios para emagrecer sem receita:

O extrato faseolamina é capaz de neutralizar o amido presente em alimentos como batatas, pão e arroz. A dose mais indicada desse produto é de 1.500 mg por dia.
Para reduzir o apetite, recomenda-se o hidroxicitrato (HCA), extraído de tamarindo. A dose recomendada é de 4.500 mg por dia.
Para auxiliar na queima calórica, recomenda-se um composto presente no chá verde chamado EGCG. Se o chá verde tiver pelo menos 50% de EGCG (em torno de 300 mg), já será possível sentir os resultados.
O picolinato de cromo exerce um importante papel na perda de peso e seu efeito mais famoso é o ajudar a queimar gordura corporal, além de aumentar a massa magra. Mas essas alegações são duvidosas para muitos pesquisadores. Recomenda-se a dose de 200 mcg por dia.

Leia também: Comprimido para emagrecer funciona?

Alguns outros remédios
Alli (Orlistat) é o primeiro remédio da lista, que é o conhecido por ser uma versão menor da droga Orlistat, presente no remédio Xenical (apenas vendido com prescrição médica). É necessário aliar uma dieta hipocalórica/saudável e exercícios para perceber efeitos desse produto.
Garcinia Cambogia é um suplemento natural, derivado de um fruto nativo de climas quentes.
Ácido Linoléico Conjugado (CLA) possui avaliações contraditórias; alguns estudos mostram resistência à insulina e níveis de colesterol HDL mais baixos ao consumir o CLA.
Efedrina é um outro suplemento recomendado para a perda de peso, mas foi banida do mercado em 2004. Outros produtos surgiram em seu lugar, como a Citrus aurantium, sinefrina ou octopamina. É preciso ter cautela ao consumir produtos com efedrina, pois foi registrado efeitos perigosos sobre a frequência cardíaca e pressão arterial.
Picolinato de Cromo é um suplemento muito vendido mundialmente. O produto pretende ajudar a queimar calorias e diminuir o apetite.
Suplementos derivados de chá verde são, normalmente, ricos em antioxidantes e cafeína. Muito utilizados para auxiliar na perda de peso, gerar energia, agilidade mental e reduzir a pressão arterial.
Hoodia é uma erva vendida como inibidora de fome. Pode ser consumido em pó ou comprimido.

Leia também: Phytophen Anvisa

Quitosana é o nome de uma fibra natural de origem animal encontrada na carapaça de crustáceos como camarão, lagosta e caranguejo. A Quitosana é muito utilizada para fins emagrecedores. Essa fibra é capaz de se agrupar a um volume de gordura até 8 vezes maior que seu peso; em seguida, esse conjunto é eliminado através do trato intestinal, sem ser absorvido pelo organismo.
L-Carnitina promove o metabolismo da gordura, ou seja, processa a gordura para que esta sirva de combustível durante os exercícios físicos. Além disso, ajuda a reduzir a produção de radicais livres e ameniza o dano no tecido muscular após o treino.

Leia mais https://www.mundoboaforma.com.br/10-remedios-para-emagrecer-sem-receita-mais-vendidos/#0egGEMFku4oIiS7A.99